8

Resenha "Sushi" - Fevereiro - Desafio Literário 2013

Posted by Samantha Freitas on 14 de fevereiro de 2013 06:00 in , , , , , ,

Um livro que te faça rir: "Sushi" - Fevereiro - Desafio Literário 2013
 

O livro é Sushi, e a autora é Marian Keyes. Quando montei os livros do Desafio Literário de 2013, eu tinha escolhido para fevereiro (Um livro que te faça rir) o Gui a do Mochileiro das Galáxias. Mas... o livro não me prendeu quando comecei a lê-lo em dezembro e acabei trocando o mesmo no Café Literário do Clube do Livro. E aí fiquei com uma lacuna. De cara, pensei nos livros da Marian e eu tinha acabado de receber pelo correio/esquema de trocas do Skoob, Sushi. Já tinha lido Melancia e Férias e tinha gostado dos dois, então achei uma ótima alternativa.

Ledo engano. Eu me arrastava pelas páginas e quase desisti de ler. Ao invés de uma, eram três protagonistas (embora duas fossem mais atuantes). Até aí tudo bem, nunca tive dificuldades em ler livros com múltiplos protagonistas, mas o problema é que o livro não me convencia, eu não tinha a menor simpatia/empatia pela primeira personagem principal e menos ainda pela última. A única que eu comecei a gostar era justamente a típica Marie Sue.

Algumas passagens engraçadas, mas mesmo assim, o livro não me prendeu. Quando cheguei mais ou menos na página 350 (fui guerreira!!!), o livro engrenou e pegou um ritmo cadenciado digno de uma noite de amor excelente.

Agora sim... depois de deixar bem claras minhas reações iniciais, posso falar da história em si... Lisa, Ashling e Clodagh são três mulheres totalmente diferentes. A primeira, uma executiva de uma revista feminina de sucesso que sempre foi uma mulher vencedora, se depara com um "rebaixamento" em sua carreira, sendo enviada para um país horroroso em sua opinião. E ela, uma mulher durona e muito difícil de lidar. O que mais me incomodou nela, foi a futilidade e algumas atitudes extremamente maldosas. Ela me lembrou muito Miranda Priestley de "O diabo veste prada". A segunda personagem, de quem eu gostei muito, foi Ashling que tinha acabado de perder o emprego e estava arriscando tudo num emprego novo. Prestativa, meiga, mas muito submissa. E a terceira, Clodagh, essa definitivamente eu detestei. Ela era a única que tinha tudo para estar feliz e no entanto, era a mais rancorosa. Ela era uma pessoa horrível! Como alguém pode dizer para uma criança de 3 anos que seu personagem preferido na TV morreu atropelado por um caminhão? E essa, foi das mais leves...

O destino das três se cruza graças a Ashling que é contratada para ser o braço direito de Lisa e é melhor amiga de Clodagh desde sempre. As três se encontram em um show de humor e o que eu pensei que seria um bom gancho para que as histórias deslanchassem, ficou por aí mesmo. Cada uma continuou seguindo seu rumo. E o livro permaneceu num mar de água tão parada que o mosquito da dengue conseguiria se reproduzir por várias gerações seguidas...

Em um determinado momento, as três sofrem um colapso nervoso e cada uma delas enfrenta seus demônios de uma maneira diferente. E é neste momento do colapso que cada uma das personagens tem sua revelação e conseguem dar a volta por cima (ou não!)

Meu trecho favorito:
"...será que se tornara alguma débil, alguma incapaz, alguma perdedora? Mas não se sentia fraca. Só porque não desejava mais fazer algumas coisas, isso não significava que houvesse se tornado uma fraca, apenas tinha se tornado uma pessoa diferente."

Lisa amadurece e ela mesma se sente uma pessoa melhor. Acredita piamente que tudo que aconteceu com ela, apesar dela lamentar, foi merecido e aceita. Recebe uma recompensa surpresa da vida, que não vou contar, senão acaba a graça da leitura não é?

Ashling também amadurece. O problema dela não era ser uma pessoa melhor. Isso ela sempre foi. Mas ela consegue superar seus medos e inseguranças e também é premiada com uma grande conquista.

Já Clodagh... Bem... ela teve o final que mereceu (também, eu não queria dizer, mas vou ter que comentar... com um nome desses, parecendo "cloaca" não podia sair boa coisa não é mesmo?) :-D

E eu? Bem... depois de toda a história, fiquei muito tentada a experimentar Sushi...

Recomendo a leitura se você tiver paciência para a grande zona parada inicial. O final consegue ser doce e surpreendente na medida certa.


Autora: Marian Keyes
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 560

|
Gostou?

8 comentários:

  1. "E o livro permaneceu num mar de água tão parada que o mosquito da dengue conseguiria se reproduzir por várias gerações seguidas..." - kkkkkkkkkk, muito bom, Sammy!

    Tem só um errinho de digitação aqui:
    No seu trecho favorito, tinha "significafava".

    Cara, eu não tenho paciencia para ler um livro que só engrena depois da página 350. Então, graças a sua resenha, não lerei este livro mesmo!
    Eu já li dela Melancia, Tem alguém aí? e Férias! Melancia eu odiei e Tem alguém aí? e Férias! eu curti muito. Tenho outro lá em casa me esperando "Los Angeles" esse não faço idéia se é bom, mas em 2015 eu consigo ler, quem sabe? rs.

    ResponderExcluir
  2. Devidamente corrigido tia Nanda!

    Pois é, cara... Nem toda resenha pode ser positiva né? Nem todo livro é tão legal. Claro que tem trechos ótimos, engraçados, mas em geral é MUITO paradão, principalmente apesar de ser um livro sobre pessoas, é o bastidores de uma revista de moda!

    E pessoas são interessantes, basta saber descrever as situações da maneira correta. Minha irmã adorou! Mas eu não gostei, fazer o quê? Férias eu gostei muito, Tem alguém aí eu ainda não li e apesar de Melancia ser uma choradeira só, eu até que gostei!

    E o lance do mosquito... pow... eu ia escrever só que o livro era paradão, mas quis dar uma "visualização do quanto" e aí, óbvio, botei o Fantástico Mundo de
    Sammy para funcionar ;-)

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito do bom humor que vc usa para fazer suas resenhas Sammy. Fica leve e convidativo pra prosseguir a leitura. As vezes pego umas resenhas por ai...que depois de umas duas frases desisto de ler. Já li Melancia e gostei bastante, mas só. Como não foi o tipo de leitura assim "nossa quero mais!" acabei não lendo mais nada dela. Se, fora esse Sushi que não não me interessou em nada, você tiver alguma outra dica dela, posso até ler.
    Nosso blog agora tem duas ótimas pessoas resenhando...estou tão orgulhosa!

    ResponderExcluir
  4. Paty, que bom que gostou da resenha, mesmo que não tenha tido vontade de ler o livro, rsss

    Eu também gostei de Melancia, mas Férias é infinitamente melhor... Um dia... eu faço uma resenha dele, tá?

    Aposto como a tia Nanda aprova Férias!!!

    ResponderExcluir
  5. Muito boa a resenha Sammy, foi divertida e honesta. É como vc disse, nem td são louros né? Não curtiu o livro e deu várias justificativas muito pertinentes para isso... com certeza levar 350 páginas para engrenar é pedir um pouco demais do leitor. Parabéns, ficou ótimo!

    ResponderExcluir
  6. Eu gostei de Melancia e foi o único que li da autora. Mas no começo tive a mesma sensação da leitura se arrastar, demorei muito para engrenar na história. Acho que a autora deveria considerar escrever livros mais curtos, talvez acabariam sendo mais interessantes :S

    Gostei da sinceridade na resenha. Pensei que só eu ficava com essa sensação na leitura da Keyes, já que a elogiam tanto :*

    ResponderExcluir
  7. Raíssa, a Keyes, escreve bem. Alguns livros dela são até bem bons, mas especificamente achei Sushi muito ruim... O livro era muito enfadonho na maior parte do tempo e não havia lá muitas coisas para compensar.

    Os baixos eram piores que os altos. Resenhas tem que ser sinceras (na minha opinião). O problema é que a maior parte dos blogueiros hoje, tem tantas parcerias com editoras e autores, que ficam com medo de desagradar. Não é o nosso caso.

    Nosso compromisso, é com a verdade ;-)

    Volte sempre!

    ResponderExcluir

Comenta aê!

Copyright © 2009 Retalhos Assimétricos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.