4

Jogo do Contente - by Sammy Freitas

Posted by Samantha Freitas on 7 de março de 2013 06:00 in , , ,
Sua mãe o acordou às 6:30.

"Porcaria de escola."

Sempre estudou à tarde, então levantar tão cedo lhe conferia um ar cômico em sua vã tentativa de parecer zangado com as sobrancelhas arqueadas. Olhou no espelho e fez caras e bocas. Grunhiu... Forçou os músculos do braço magrelo e por fim, arqueou os ombros.

"Ninguém levava a sério sua raiva..."

Ouviu o assovio do banheiro.

"Como ela poderia estar assoviando TÃO CEDO? Sabe o que mais irritava? Ela assoviava enquanto tomava banho frio às 6:30 da manhã. Louca varrida, louquinha de pedra!"

Mas não podia dizer isso. Levantou emburrado para iniciar sua rotina diária. Escova dente-veste uniforme-toma café da manhã.

"Onde diabos foi parar a bermuda jeans do uniforme?"

Olhou vagamente as roupas espalhadas pela cama, papéis caindo da mesinha de estudos e brinquedos espalhados pelo quarto.

"Qual é o sentido em arrumar tudo se logo em seguida, tudo estaria bagunçado novamente?"

Mas, para seu bem e felicidade geral da nação, era melhor sua mãe não ver aquilo tudo, senão ia ter briga.

"Ah, que se foda! Também não vou arrumar nada!" - pensou num súbito surto de coragem.

Mas lembrou do faiscar dos olhos da mãe e sentiu medo. Melhor não despertar a fera já tão cedo. Empilhou os papéis, enfiou a roupa espalhada embaixo do travesseiro e chutou os brinquedos para embaixo da cama. Método-Guilherme de arrumação rápida. Deveria escrever um manual! Voltou para a sala e ligou a TV. O chuveiro já tinha sido desligado, sinal que ela entraria a qualquer momento na sala. Hora de trocar de canal. Contrariado, tirou do desenho e colocou no noticiário.

Apesar de todos os seus esforços ela entrou na sala e um olhar foi o suficiente para choverem reclamações...

- Cadê o uniforme?
- Já tomou café da manhã?
- Porquê está parado sem fazer nada?
- Limpou a caixinha da gata?
- Porque a sacola que você trouxe da casa da sua avó ontem ainda está aqui no sofá?
- Arrumou a mochila do curso?

Ouviu só o blábláblá Curso???? Que curso???? Puxou pela memória e não entendeu, contestou na mesma hora. Detestava injustiça. Mais ainda com ele! Poxa! Ele não tinha feito aquele esforço todo para arrumar o quarto antes dela chegar?

- Não achei meu uniforme, mãe.... E que curso?

A sobrancelha dela arqueou e ele se encolheu entre assustado e admirado. Um dia, ainda saberia intimidar alguém só com aquele olhar! Deu um sorriso de leve e tomou outra bronca.

- Tá rindo porquê? Você não presta atenção em nada! Guilherme, que uniforme? Que uniforme, filho? - sua voz suavizou. Sinal de que ela tinha se acalmado um pouco. Agora era um momento crucial em que estaria pisando em gelo frágil. Qualquer coisa poderia fazê-la gritar. Então escolheu as palavras com cuidado...

- Meu uniforme de escola... não estou achando?

- E para quê você quer o uniforme???

- Ué.... eu não acordei cedo? Não tenho que ir para a aula?

Ela suspirou. Bola fora. Ao menos não parecia mais tão irritada.

- Filho, hoje é SÁBADO!!!!

- Então porquê tenho que acordar cedo? - Achei minha pergunta bastante pertinente. Ela não achou o mesmo e percebi de imediato que tinha escolhido as palavras erradas.

- E o curso preparatório????????? Já esqueceu???? - Tom de voz irritado, mas ainda não estava gritando.

"Isso era um sinal claro de que eu tinha alguma chance de me redimir."

- Desculpa, mamãe, eu esqueci. - e fiz o meu melhor olhar triste. - Não queria ser tão burro e esquecer das coisas, mas eu esqueço... - eu sabia que funcionava quando me chamava de burro. Ela sempre dizia que eu não era e se acalmava....

Ela veio em minha direção e me abraçou. Round 1 - Guilherme 1 x 0 Mamãe... Sorri com o canto da boca.

"Parecia que seria uma manhã boa!" Ela levantou meu queixo e beijou minha testa.

- Gui.... vai vestir uma bermuda agora. Sem vestir a camisa para não derrubar achocolatado. A mochila está pronta?

- Não achei a mochilinha mamãe....

- Mas meu filho! Não é possível! Ontem você chegou da escola com ela e nós passamos seu material para a mochila nova... Onde você colocou a mochilinha? As coisas tem um lugar, Guilherme! Se não colocá-las em seu lugar certo, você nunca vai achar nada. Vamos ao seu quarto. Vou te ajudar a procurar.

Meu coração disparou. "Será que ela perceberia que o quarto estava um pouquinho bagunçado????"

- Guilhermeeeeeeeeeeeeeeeeeeee..
..........

"É... acho que ela percebeu... Melhor ir antes que estrago maior seja feito..."

- O que é essa roupa suja embaixo do travesseiro? E esse monte de sacolas plásticas na sua cama? Assim fica difícil você achar alguma coisa mesmo. Seu quarto está uma zona!

Achou melhor não discutir. Acenou a cabeça e baixou os olhos se desculpando. Ela voltou a sala e surpreendentemente achou a mochilinha sobre o sofá ao lado das almofadas. Não consigo entender... As mães SEMPRE acham as coisas! Eu tinha olhado o sofá todo e não estava ali no instante anterior! Olhei para ela e os lábios se mexiam, mas eu não estava ouvindo. Estava pensando em que tipo de curso seria... Se alguém que eu conhecia estaria lá... Fiquei empolgado. E queria fazer tudo ao mesmo tempo... E então ouvi as últimas palavras:

- Porque estamos atrasados!

Percebi que ela estava me ajudando a arrumar a mochilinha... Arrumando meu caderno, estojo e um pacote de biscoitos dentro da mochila... Ela não parecia mais zangada. Tomei meu café da manhã rapidamente e resolvi esquentar uma caneca de leite para ela. Uma mão lava a outra. Além disso, ganharia uns pontos extras por ser prestativo...

Terminamos de nos aprontar e saímos.

Se eu tinha ficado irritado por acordar cedo, agora podia dizer outra coisa.

- Mamãe.???!!!!!???

- O que é Gui?

- Estou tão tão contente por você ser minha mãe e me ajudar no primeiro dia de curso... se fosse o papai, não teria nem terminado de calçar meu tênis...

Ela sorriu e me abraçou. Round 2 - Guilherme 2 x 0 Mamãe - Guilherme wins!

|
Gostou?

4 comentários:

  1. Já conhecia essa crônica (amiga da autora tem suas vantagens,rs), muito boa como sempre.

    Repito o que falei na época: sabe com quem o Gui aprendeu essa cara de gato de botas, ne? rsrsrsrrsrs

    ResponderExcluir
  2. Guilherme Wins!
    hahahahahahahha

    É, muito boa!
    Essas criança de hoje em dia, sempre conseguem nos dobrar só com um olhar... e a gente esquece as broncas... tsktsktsk
    com quem sera q eles aprendem?
    Parabéns pela crônica Sammy!

    ResponderExcluir
  3. Crianças são sempre temas maravilhosos e meu filho me inspira todos os dias ;-)

    Um dia, quando ele for crescido, ele vai ler essas coisas e vai se pegar sorrindo, lembrando da infância.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns de novo, Sammoka!
    Muuuito interessante a crônica... mais interessante ainda o desprendimento de vc se analisar pelos olhos dele... nunca escrevi um texto assim.. me deu o que pensar... como devo ser eu, vista pelos olhos do marido?
    (Marcia coçando o queixo por um momento, pensando)
    Enfim! E adorei seu ponto de vista, nunca tinha pensado nisso... são sim, um ótimo relato pro Gui, ele vai se amarrar nesses textos quando for um homem feito, pricipalmente quando ele for pai. Acho que seus netos vão adorar, Sammy, e vão zuar o Gui um bocado!

    ResponderExcluir

Comenta aê!

Copyright © 2009 Retalhos Assimétricos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.