5

Desafio Realmente Desafiante - O diário de Bridget Jones

Posted by Samantha Freitas on 13 de junho de 2013 06:00 in , , , ,



3. Ler um livro com um doce na capa.




 O diário de Bridget Jones 
Helen Fielding


Não existe uma pessoa sequer que eu conheço que não tenha lido e/ou assistido Bridget Jones. Então, resenhar um livro que todo mundo conhece a história, pode ser uma grande faca de dois gumes.

Gostei do livro (e descobri que a adaptação foi muito boa! O que é tão raro atualmente!!!), mas no começo, eu achei um saco aquele lance de tantas unidades alcóolicas, cigarros e peso. Também achei a Bridget tão fútil, que nem mesmo gostava muito dela!

Acompanhamos no livro, um ano de sua vida e suas metas para lá de ousadas de fim de ano. Vamos encarar a realidade... Dificilmente estamos satisfeitas com nossas vidas e Bridget começa o diário perseguindo a meta de quase todas as mulheres que conheço na minha faixa etária! 

Todo mundo quer trocar de emprego, emagrecer e arrumar um  namorado! E Bridget não é diferente de nós nesse sentido...

Mas na boa? Que mulher atrapalhada! Só se metia em fria! Mesmo assim, eu balançava a cabeça e continuava lendo. E foi aí, que eu percebi uma certa semelhança com Orgulho e Preconceito de Jane Austen (leia a resenha da aqui. Nanda, olha esse pulo do gato! Encontrei algo que talvez muita gente não tenha percebido! Será??!!)

Vamos às semelhanças... Para começar, o garotão Mark Darcy, é tipo... a versão moderna do Mr. Darcy. Misterioso, irritante, está sempre aparecendo nos lugares onde Bridget faz as maiores besteiras! É  implicante, ignora ela e no fim está completamente apaixonado!

A mãe da Bridget é meio louca e cria situações extremamente embaraçantes exatamente da MESMA maneira que a Sra Bennet! As duas são praticamente clones! Aquela empurração da filha para o mocinho então... Praticamente um plágio da Hellen!

Bridget tem um caso com seu chefe, Daniel, que já teve problemas anteriormente com Mark... Exatamente como Elizabeth, em Orgulho e Preconceito, que faz amizade com Mr Whickman que tem um problema antigo com Mr Darcy... Daniel, assim como Whickman, se fazem de bons moços e enganam todo mundo no começo, mas são desmascarados no final ;-) 

Pena que a Bridget em si, não tenha características da Elizabeth... Talvez por isso, por ter involuntariamente reconhecido parte do clássico, tenha tido dificuldades em gostar de Bridget, porque Elizabeth, é maravilhosa e nada tem de fútil, completamente o contrário de Bridget que se mostra uma completa fraude quando se trata de cultura, rs

Então, podemos dizer, sem a menor sombra de dúvidas, que Hellen, foi muito esperta em usar como pano de fundo uma das obras-primas de Jane Austen! Fora que esse triângulo amoroso, é uma fórmula padrão em romances, e fórmulas padrões sempre funcionam! Deu uma repaginada no romance, acrescentou cenas engraçadíssimas modernas, bem feministas e séc XX e misturou tudo em forma de diário. Bingo! Um livro super divertido capaz de arrancar um sorriso da pessoa mais rabugenta!

Leitura rápida e fácil, boas gargalhadas, o livro é perfeito para desanuviar e fazer você ter um dia mais leve e feliz! 

Tempo: 3 dias
 Finalidade: Diversão/Desanuviar a mente.
Restrição: Quem não gosta de finais felizes/Não gosta de romances
Princípios ativos:  Muito humor e romance!


Título: O diário de Bridget Jones 
Autor(a): Hellen Fielding
Editora:  Bestbolso
Número de Págs.: 322 páginas

|
Gostou?

5 comentários:

  1. O.O
    Sammy, como eu sou um ET, eu não conheço nenhuma das duas obras e nem mesmo vi o filme, rss...
    Mas, uau!
    Sua resenha foi de uma percepção extraordinária! Aguçou minha curiosidade para ler as duas e estabelecer essa paralelo também!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Você é sempre fantástica nas resenhas Sammy! Apaixonei com o livro...e como a Marcinha também não vi o filme.

    ResponderExcluir
  3. Eu vi o filme e li o livro.
    Li este livro e li o segundo "Bridget Jones, no limite da razão" e gostei de tudo.
    O engraçado foi que quando eu li, devia ter uns 21 anos, então não me identifiquei com a Bridget, mas achei ela tão engraçada em suas trapalhadas que meio que a adotei logo de cara.
    Agora, vou te falar Sammy... só vc mesmo! Pára tudo e chama a NASA! Realmente é muito semelhante mesmo! Dizem que na arte nada se cria, tudo se copia e esse livro esta aí para mostrar isso, caramba, plágio descarado! rs. Muito boa sua percepção. Leia o 2 e me diga se é baseado em outra obra da Jane Austen (vai que, né? rs)

    ResponderExcluir
  4. Ã? Nunca tinha ouvido falar de Bridget Jones... tem algo de errado comigo? O.O
    ótima resenha!
    Mas não é o tipo de livro que tenho gostado de ler ^^

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca me identifiquei com a Bridget porque achava na verdade ela meio fútil demais, rsss

    Marcinha: Que bom que minha resenha chamou tua atenção e aguçou sua curiosidade!

    Paty! Tks pelos elogios! Eu conhecia o filme, mas nunca tinha lido o livro, aproveitei o desafio, para ler!

    Nanda, assim que arrumar uma folga, leio o segundo. Consegui há pouco tempo numa troca. Gostou do lance do plágio né? rsss A verdade é que a gente só começa a perceber esse tipo de coisa, quando prestamos MUITA atenção. Você não percebeu, porque nunca tinha lido Orgulho e Preconceito quando leu Bridget Jones e quando leu, ficou tão encantada com Mr. Darcy que jamais o associaria ao gostosão tímido Mark! Acredite, eu já fui uma romântica de carteirinha e o meu filme favorito foi, por muito tempo "Um lugar chamado Notting Hill"...

    Denize, Bridget Jones não é exatamente um livro interesante. Ele é engraçado, tem uma pegada de humor, mas ele é ótimo para quem gosta de coisas mais palpáveis, reais e atuais, e conhecendo seu gosto pela pegada de suspense/sobrenatural, realmente não seria bemmmm um livro estimulante. Mas, estou lendo um, que faço questão de resenhar e que talvez seja mais do seu gosto ;-) Aguarde! Coming soon!

    ResponderExcluir

Comenta aê!

Copyright © 2009 Retalhos Assimétricos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.