5

Um Kindle para chamar de meu....

Posted by Samantha Freitas on 6 de junho de 2013 06:00 in , , , ,
Sempre gostei de novidades tecnológicas. Embora fosse a mais dura da galera, nunca pude ter a maioria dos itens de primeira geração, eu sempre sabia o que era cool... O que era in e o que era out em se tratando de itens eletrônicos, é claro... Lia avidamente a revista Info e todas as publicações que tivessem cd-rons com centenas de programas para lá de inúteis...

Ainda lembro dos tempos em que eu era a sensação no Curso Técnico de Informática, carregando em uma dúzia de disquetes 3.1/2 coloridos, jogos como "Lotus" (corrida), Elifoot (técnico de futebol) e o velho descanso de tela do Johny Castaway... 

Eu sou da era do velho XT com monitor verde (o meu era âmbar - laranja!!!)... Passei pelo 486 DX2-66... Lembro de ter comprado meu monitor vendendo meus tickets-refeição por meses à fio! 

Enquanto as patricinhas da minha escola e até mesmo as do próprio Curso Técnico em Processamento de Dados desfilavam com Nikes e Reeboks cor-de-rosa, tinham festas de 15 anos e iam para a Disney, eu seguia na minha incansável (e nerd) luta de aprimorar meu computador... 

Por isso, mesmo todas nós termos nos formado como técnicas em informática, eu fui a que ficou mais próxima à área de informática e exatas. Minhas melhores amigas seguiram para áreas de saúde e humanas... Veterinárias, médicas, psicólogas... e anos depois, continuei sempre sendo a primeira a citar coisas novas...

Sabia configurar vídeos cassetes (OMG!!!!), usar dois para copiar fitas... por Deus que não havia ninguém na minha turma que acertasse mexer nos aparelhos de primeira... Cansei de chegar nos lugares e resolver problemas super simples (para mim!)... E meus amigos: "Puxa... eu juro que não estava funcionando! O Computador parece que te conhece... é só você chegar e não dá erro... tudo voltava sutilmente a funcionar...

Fui a primeira a ter um notebook... Importado... Sueco o bichinho... Custei a compreendê-lo. Sem manual, ele me deu muito trabalho nas configurações...

Também fui a primeira a comprar o que elas chamavam de "celular de dedo" - o iPhone... Parcelado a perder de vista... Eu tinha visão de que era algo que faria muito sucesso, mas não tinha a grana para comprar tudo no pau e menos ainda para viajar do exterior e trazer...

Com o tempo, fui ficando mais velha e menos atenta às novidades de plantão. Ainda assim, andava no meu radar um leitor de livros digitais. Embora apaixonada pela leitura (minha biblioteca atual possui mais de 1.100 livros em papel!!!), nunca achei que um e-Reader me conquistaria.

Ledo engano. A idéia foi amadurecendo e depois de muitas pesquisas e comparações entre o Kobo e o Kindle, para mim, só era financeiramente viável, a compra de um Kobo Mini... E embora a Paty, tenha falado um pouco sobre o Calibre* aqui, não chegou a fazer uma comparação entre os modelos**.

Mas.... sabe... até que rolou uma discussão leve e comparação entre os e-Readers entre nós , as autoras do blog. Nanda, sempre prática, falou sobre ler no tablet. Denize já mandou de cara que ler no computador é um saco (e eu concordo plenamente!!!!). Por fim, depois de pesquisas, o Kobo era unanimidade.

Mas, não rolou o Kobo. Minha irmã, numa viagem para o exterior não o achou e trouxe o Kindle. 

Antes mesmo dele chegar, eu já lia sem parar o manual com mais de 300 páginas! Já tinha me cadastrado na Amazon brasileira e baixava as versões gratuitas de ebooks disponibilizados na Amazon.com (muitas vezes, na ânsia de encontrar um livro free, nem percebia que o mesmo estava em inglês, espanhol, francês... Baixava cópias digitais dos livros que já tenho em papel, versões alternativas, traduzidas por fãs... cadastrava metadados... tudo para poder receber meu Kindle.

E ele chegou no último sábado. Presente de aniversário adiantado (o meu é na semana que vem!) Foi paixão a primeira vista. Trocamos olhares, passei meus dedos com carinho em seu corpo leve... Transportei alguns arquivos e baixei minhas compras da Amazon. Quanta praticidade! Quanta leveza!

A tela não cansa, parece que você está REALMENTE lendo papel. Os meus e-Books nunca substituirão os meus livros de papel, isso é fato. Gosto de pegar no livro, sentir seu cheiro, folhear... Gosto de passar o mão pelas capas atuais, sentir suas texturas na ponta dos meus dedos... cheirar o livro, sentir o papel, e até mesmo o peso do livro em si.

Mas pense bem... Eu já tive problemas absurdos de coluna por andar feito uma tartaruga ninja, livros enormes e pesados... (como a Guerra dos Tronos, por exemplo...) Fora que alguns livros são até difíceis de segurar para ler, escorregam com tamanhos enormes ou pequenos demais...

E aí, nesse momento, eu chamo o Kindle de meu louro e penso na sua praticidade. Para começar que o Kindle é leve. Muito leve mesmo. Sua bateria dura horrores. Mais de um mês, mesmo se esquecer o bicho ligado nos três primeiros dias como eu... 

O Kindle, com sua tecnologia ink-Pearl, faz com que realmente pareça um livro. Ainda não descobri todas as suas funcionalidades, porque estou encantada em conseguir ler livros que antes jamais conseguiria carregar... 

Também já achei em formato digital, livros, que muitas vezes não achamos mais nem mesmo nos sebos... 

No entanto, a coisa mais interessante que eu achei no aparelho, na verdade, é algo meio desesperador para a maioria das pessoas...

Veja bem, pegamos um livro, já sabendo quantas páginas tem. E isso, pode ser uma benção ou uma maldição. Você pode desistir ou desanimar se vir um livro de 500/600 páginas. Mas... O Kindle é espertinho! Ele não te fala quantas páginas o arquivo tem. Isso é bem desesperador (embora ele tenha na verdade um "medidor de porcentagem do livro lido"). 

Isso me fascinou. Me fez redescobrir um mundo novo de leituras ao toque de um dedo. Você não sabe de que página veio nem para qual vai. Só sabe que tem 73% do livro concluído...

Ler no computador é cansativo. O brilho da tela incomoda, muitas vezes o arquivo vem desconfigurado e aí acabamos nos perdendo, cansando rápido e as vezes até mesmo desistindo dos livros digitais... Mas no Kindle não. Ele tem uma tecnologia que faz com que o livro digital pareça mesmo um livro de papel. 

Sabe... embora eu ainda não possa sacar o Kindle da bolsa em qualquer lugar Nem na minha imaginação mais fértil, consegui realizar esta cena... Trem do RJ lotado e euzinha sacando meu Kindle para ler? Muito primeiro mundo né? Só que não... Prefiro não arriscar... Puxo o velho livro de papel e deixo o Kindle para a espera nos consultórios médicos... (Li 6% de  um livro hoje, só na espera da dentista!)

Nossa afinidade é tanta, que eu quase posso dizer que o Kindle se tornou uma extensão do meu corpo. Leio, faço anotações, envio para o Facebook e twitter os trechos e minhas considerações... 

Leio com prazer, sem deadline, sem saber quantas páginas faltam para o capítulo ou o livro terminarem. Apenas pelo prazer da leitura...  

Minhas amigas, já sabem que tenho uma novidade para lhes mostrar... E então eu dou um sorriso leve pensando que mais uma vez, estou dando um pequeno passo para a humanidade, porém um GRANDE passo para o futuro...



* * *

*Calibre - programa conversor e leitor de arquivos de formatos digitais e organizador de suas bibliotecas de ebooks.

**Quem quiser ver um comparativo entre os modelos, poderá clicar aqui e ler um pouco mais sobre as facilidades do universo tecnológico dos e-Readers...

***Não pude resistir e tirei algumas fotos do meu Kindle e postei aqui para vocês o conhecerem!!!




 

 



















|
Gostou?

5 comentários:

  1. Muito maneiro, Sammy!
    Bonitinho e prápico, com uma bateria que dura pra caramba. Genial.
    É o tipo de mimo que sempre me seduziu, mas eu vou deixando, rss... mas que é interessante é!

    ResponderExcluir
  2. Eu quero muito um kindle, acho que leria bem mais se eu tivesse um.. Souza fã de livros de papel, não deixaria de ter um por nada (só por falta de grana mesmo). Pra mim os livros digitais vieram só pra agregar, nunca vão substituir os livros de papel, assim como o cinema não substituiu a TV, e nem a TV substituiu o rádio. Um ajuda o outro.

    Parabéns pelo seu kindle. ^^

    ResponderExcluir
  3. Descobri que meu tablet tem um programa que já vem com ele chamado "Ebook" que lê epub. Cara, como é legal.
    Dá pra marcar as partes mais interessantes (como se a gente estivesse usando aquelas canetas marca texto) dá pra colocar marcado de página, dá pra ouvir o livro (deve ser para pessoas cegas!), muito legal! E também não dá pra saber quantas páginas li. Tipo, estou em 10% de "A fúria dos reis", quanto é isso? Nao faço ideia! rs.
    Realmente facilita a vida para ler livros grossos, dificeis de manipular e transportar!

    ResponderExcluir
  4. É muuuuuuito legal mesmo! E super prático né, e gasta menos pra arranjar os livros que quer, e não é como ler no pc... enfim, muito show. Mas não me seduz, eu sou TOTALMENTE adepta a ler livros de papel e vai ser muito difícil me fazer mudar de idéia. rsrsrs não tem nada melhor do que ter o livro em si nas mãos, pra virar as páginas, sentir o cheiro do papel, guardar na estante... ^^

    ResponderExcluir
  5. ótimo post Sammy...e parabéns pelo Kindle!! \0/ você merece!! \0/

    ResponderExcluir

Comenta aê!

Copyright © 2009 Retalhos Assimétricos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.