4

Batata Quente na Área!!! Crônicas de San Atório!

Posted by Samantha Freitas on 31 de agosto de 2013 06:00 in , , , , ,
Após nosso período de férias, para dar uma animada, vamos ressucitar um MEGA-DESAFIO!
Para dar uma animada, vamos ressucitar nosso Desafio da Batata Quente!
Para quem não conhece o desafio, dá uma olhada nas Batatas-Quentes anteriores:

-  Parte Final

As regras serão as seguintes:  
(copiadas e adaptadas das regras das primeiras batatas!):

1- Iniciando a história, um com um tema baseado na Idade Média.

2- O textos será desenvolvido por quem quiser participar (conto com a participação de TODAS!)

3- Para que a história não fique longa nem sem um final, proponho que cada participante contribua com no mínimo dois trechos, e por isso todos devem publicar no comentário deste post “Quero Batata Quente”. A história deverá ter 10 partes e quem for publicando sua nova parte, não esqueça de linkar as anteriores para facilitar o leitor que por um acaso chegar.

4- Sempre que um participante postar a sua continuação, o próximo será quem se candidatar primeiro publicando nos comentários "A Batata Quente é minha”, e assim sucessivamente. Acompanharei o desenvolvimento das histórias e tentarei informá-los quando estiver próximo ao final.

5- Cada participante terá UMA SEMANA (sete dias) para postar a sua continuação. Se acontecer de postar antes do prazo, melhor, mas se por ventura a candidata tiver algum problema particular (ou de inspiração) e não conseguir postar no prazo, faça o obséquio de informar no blog que irá atrasar e dar um prazo médio para a publicação (se achar necessário pode passar a Batata Quente para outro que estiver interessado).

6- Ao final das histórias faremos um post colocando todas as partes juntas e uma imagem referente à história.

7- Em cada postagem coloquem a tag “BatataQuente” + "Crônicas de San Atorio" e sua tag pessoal.

8- Lembrem-se sempre de intitular o post com "Batata-Quente (3) - Parte xx", onde xx será a parte da história.

Bom, acho que é isso. Se alguém tiver alguma crítica e/ou sugestão para esse desafio é só dizer. Gostaria realmente que todas participassem mesmo que seus trechos sejam pequenos ou até mesmo de um parágrafo só. Minha intenção é interagir nossas mentes férteis.




Parte 1 - Na taverna do Fauno


 Por causa da chuva que caía naquele domingo, todo povoado estava se abrigando na taverna. Ela estava mais cheia do que nunca.

Martha levantou-se de sua mesa, tropeçando em suas próprias pernas. Sua cadeira se espatifou quando a empurrou para trás. Porcaria de mobília podre... Aquele fauno velho, o Silvicha nunca providenciava nada novo e os clientes eram obrigados a se equilibrar em pedaços de madeira e barris.

Chutou os pedaços restantes de madeira e começou a abrir a grande quantidade de nós de suas calças. Tinha mesmo bebido demais... Arrotou alto para impor respeito, mesmo assim, os demais guerreiros não a levavam a sério com seu pequeno porte e por manter seus cabelos negros, trançados nas costas chegando quase à cintura. Que guerreiro imporia respeito com tanto cabelo?

Santhara, uma das taverneiras havia servido cerveja misturada com aguardente. Martha bebia facilmente três barris de cerveja da boa, mas  a mistura de bebidas parecia ser muito mais do que ela era capaz de absorver.

Abanou a fumaça à sua volta, reclamando sem parar da quantidade de roupa que precisaria tirar para mijar. Encaminhou-se para a latrina num estágio entre entorpecida e irritada. Ser uma guerreira tinha dessas desvantagens... Armadura, capa, cota de malha, espada, escudo... carregar tudo para todo o lado... Se ainda tivesse um escudeiro...

Suspeitava que Santhara era uma feiticeira ou uma puta. Aqueles cabelos vermelhos semi-escondidos sob o capuz não pareciam normais. Tocou rapidamente a estrela do cabo da espada para espantar o mal, não podia arriscar má sorte agora.

*******

Em outra mesa, uma feiticeira e uma ranger com o arco pendurado, jogavam dados a dinheiro. Uma turba gritava a volta delas apostando sem parar. A Ranger, era extremamente sexy e inclinava o corpo para mostrar o colo branco... Aquilo cheirava a malandragem... Conhecia as duas de vista, estavam sempre fingindo jogar e incitando os bêbados a apostarem.

Bateu na cabeça de leve e lembrou... Já havia ouvido falar delas! Eram Nardanna e Petrika... Elas eram amigas e a segunda, era uma feiticeira ardilosa que usava seus dons ilusórios para trapacear e levar dinheiro dos homens que passavam por seus caminhos...

Não estava nem aí para elas... Mas sacudiu sua bolsa e não tinha mais moedas. Não seria difícil chantageá-las para conseguir mais algum ouro. Quando começou a se aproximar, notou que elas havia uma mulher loura misteriosa as acompanhando. Porque alguém usaria um capuz dentro da taverna? Aquilo não cheirava bem. Não a conhecia mas percebeu que seus olhos atentos espreitavam todos à volta...

Aproximou-se lentamente, tentando não ser notada, mas a loura foi mais rápida e encostou uma adaga em seu pescoço, perguntando baixinho:

- Veio apostar ou caçar briga? 

Sua mão desceu até a cintura e instintivamente puxou a espada. Logo estabeleceu-se a confusão...

Santhara servia bebidas numa mesa próxima, quando viu o velho Silvicha agarrando o traseiro de uma jovem mocinha que tinha começado a trabalhar ali há poucos dias. Não pôde se conter diante do asco daquele velho...
- Ora seu...



Nesse momento, ela pegou uma garrafa na mesa mais próxima e acertou a cabeça do fauno que cambaleou para trás.
Dois bardos começaram uma discussão sobre o torneio que haveria em alguns dias e que tinha lhes trazido para o vilarejo. E sem qualquer aviso, um barril vazio voou na direção de Martha e a misteriosa.

A loura agiu rapidamente. Soltou o pescoço de Martha e com um só golpe, partiu a madeira podre em pedaços.

Pethrika, assustada, não pensou duas vezes, olhou a volta e mentalmente traçou um caminho rápido até a saída, correndo para fora desviando com agilidade dos socos e pontapés dos bêbados que se engalfinhavam. Foi seguida por Nardanna que gritava enquanto enfiava as moedas entre os seios:

- Volte aqui, Pet! Me ajude a recolher o ouro!

O clima foi ficando ainda mais quente na taverna com o fauno subindo em uma mesa e exigindo o término da briga. Em poucos segundos, todos estavam xingando e arremessando móveis e objetos.





Quando Martha percebeu, estava do lado de fora, na chuva ao lado da feiticeira, da arqueira, da loura e de Santhara.

As cinco se entreolharam e mediram-se ferozmente. E foi nesse exato instante que um Orc atravessou a janela inconsciente. As cinco mulheres se abaixaram ao mesmo tempo e Santhara disse:

- Esse Orc sempre sai da Taverna de modos pouco convencionais. - balançou a cabeça e baixou o tom de voz, confidenciando - E ele NUNCA paga a conta.  Fico me perguntando se ele não tem ouro e finge estar desmaiado ou se ele pensa que é um dragão tentando aprender a voar...

A guerreira loura gargalhou alto, assustando as demais, que começaram a rir para aliviar o estresse. E então, ela estendeu a mão:

- Meu nome é Deziree... Essas são Pethrika e Nardanna. E vocês, quem são?

*******


E aí? Quem se habilita a pegar a próxima Batata-Quente?????












|
Gostou?

4 comentários:

  1. "Quero Batata Quente" e "A Batata Quente é minha" ... tô dentro pra continuação. ^^

    ResponderExcluir
  2. É isso ai Marcinha! Põe essa batata quente pra assar de novo!
    BOA SORTE!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Olá denovo, gente, rss... Estou editando meu comentário...
    Gente, meu prazo de uma semana tá expirado, eu sei, desculpem... estive bem doente essa semana, e isso me atrasou.
    Mas... estou com o texto de continuação faltando os últimos toques! Então reservei a data de quarta-feira, dia 11. Achei melhor pegar esse dia, enfim... a previsão é essa!
    Beijos ;***

    ResponderExcluir

Comenta aê!

Copyright © 2009 Retalhos Assimétricos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.